Modificando o nosso próprio Comportamento



Já aprendemos até aqui que se uma criança está repetindo um comportamento é porque de alguma forma ela está sendo reforçada, seja porque ela ganha algum item ao fazer isso (finalmente compram aquele brinquedo), ela ganha atenção com ele (você para tudo que está fazendo para ir lá brigar com ela), ela foge de algo que ela não queria fazer (tá amanhã você toma banho, então) ou a própria ação em si é algo que ela curte. Também aprendemos que essas consequências que mantém o comportamento inadequado acabam sendo estabelecidas por nós mesmos, os adultos que fazem parte da rotina da criança. Hoje vamos começar a aprender como mudar essa realidade.


Muitas vezes escutamos, “ah, ele tá fazendo isso pois quer atenção, ignora que uma hora ele para”, e pode até ser que funcione. Mas e se ao invés de ignorar um pedido da criança por atenção, a gente fizesse justamente o contrário? E déssemos tanta atenção para ela, especialmente quando ela tá fazendo coisas legais, que ela aprenderia que não precisa fazer “bobeiras” para ganhar atenção. E mais! Quando ela está fazendo comportamentos bacanas ela ganha muita atenção dos adultos.


Essa é a lógica que queremos trabalhar, ao invés de ignorar a necessidade da criança, atendê-la, e aproveitar para ensinar (construir!) como ela deve agir para conseguir o que deseja. A mesma lógica pode ser aplicada aos outros motivos para comportamento inadequado. Então, se uma criança chora para conseguir um item, que tal mostrar como ela pode pedir pelo que deseja verbalmente? Ou pedir para pausar uma atividade indesejada. Neste momento você deve estar pensando, “mas eu não posso comprar tudo o que ela quer ou deixar que ela não faça algumas ações só porque ela pediu adequadamente”! E sim, você tem razão, a criança precisará aprender a lidar com limites e negativas, e sobre isso iremos falar no nosso próximo post.

15 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo