Aumentando o tempo de estudo

Você sabe quanto tempo a criança estuda de modo produtivo?


Sabe quando queremos começar algo (ou não queremos, mas precisamos...), só que a tarefa parece inalcançável? Por exemplo, estudar todos os dias por um certo período de tempo. Uma forma de conseguir alcançar o objetivo é através de um processo que a psicologia comportamental chama de Modelagem.

A modelagem pode ser usada para ensinar diferentes repertórios. Hoje, vamos focar no seu uso para aumentar o tempo de estudo. O primeiro ponto é saber onde a gente se encontra: quanto tempo a criança estuda de modo produtivo?


Podemos anotar esse tempo por uma semana e tirar uma média para ter uma ideia mais precisa. E, claro, deve-se evitar fazer isso na semana de véspera de prova ou dos jogos escolares, viu? Esse tempo pode não ser o usual. No nosso exemplo, a criança estuda em média por 12 minutos todo dia.


Também é importante saber onde queremos chegar: qual o objetivo? Qual seria o tempo ideal de estudo para a criança?


Para essa decisão é essencial conversar com os professores e equipe escolar para ajudar a definir esse ponto. Assim evitamos estabelecer um tempo muito longo para o repertório e/ou faixa etária da criança. No nosso exemplo, o objetivo será de 30 minutos de estudo diário.


Em seguida começamos a estabelecer critérios intermediários de desempenho. Esses critérios devem ser alcançáveis! No começo, pode ser algo um pouco menor que o tempo médio da avaliação inicial. Por exemplo, 10 minutos. Ao alcançar o critério, haverá uma consequência boa para criança. Se o critério não for alcançado, não haverá a consequência.


Por isso é tão importante que a gente comece com uma meta realista e aumente gradativamente. Queremos que ela consiga e seja um sucesso! No exemplo, o critério inicial era de 10 minutos. Após uma semana de sucesso, ele será aumentado para 12 minutos, e depois para 15 minutos, etc... Até alcançar o objetivo final (ex.: estudar 30 min).


A forma como o aumento é feito pode variar muito,e é necessário uma análise dos resultados para isso. Aumentar muito o tempo de uma só vez (por exemplo, de 10 para 25 minutos) ou com muita frequência (todos os dias) pode interferir negativamente no procedimento. Ah, e caso a criança não esteja mantendo mais o tempo de estudo, podemos voltar ao tempo anterior e permanecer nele até ter uma maior estabilidade.


Também devemos ter muito cuidado para não parar com o procedimento assim que o tempo de estudo chegar em 30 minutos! O comportamento de estudo deve estar estável. Você só para de aumentar o tempo, mas continua o procedimento!


Esse é um procedimento que parece simples, mas que para funcionar exige várias etapas e muita atenção do profissional, para por exemplo: fazermos uma avaliação inicial; estabelecer objetivos; registrar os resultados; analisar os resultados e tomar decisões.


Achou interessante, mas precisa de ajuda na execução? O nosso serviço “Ensinando a Aprender” foi desenvolvido especialmente para isso.

1 visualização